Georgino Avelino Notícias

Somos comprometidos com a verdade

O blog

Nós gostamos do que fazemos e do que noticiamos. Nós somos apaixonados pelo jornalismo local e simplesmente
Vinhemos mostrar a cara da nossa cidade para o Brasil e o mundo.

  • Rua da Campina,Nº 140 Carnaúba, Sen. Georgino Avelino-RN CEP 59168-000
  • 84 98126-2654
  • contato@georginoavelinonoticias.com.br
  • www.georgioavelinonoticias.com.br

A missão

Queremos ser o blog de notícias mais lido da cidade e da região e que leva o fato e a verdade aos leitores. Queremos levar a informação na hora e no tempo certo.

Informar 100%
Ser social 8%
Buscar a verdade 100%
Ser o único 60%

Levamos a verdade

Buscamos sempre levar o jornalismo com seriedade e pautar sempre a verdade dos fatos

Notícias local

Nosso maior objetivo é levar as noticías de Georgino Avelino para o Brasil e o mundo.

Momento que acontece

Levamos as notícias na hora em que aconte até você

Midias Sociais

Estamos em várias plataformas de redes sociais para poer levar a informação onde você estiver

Rádio Cultura

Temos também a rádio que leva a boa música e a informação local e regional para você

A sua cara

Temos uma plataforma limpa e falamos a sua lingua. Escrevemos simples para que você possa entender da melhor forma.

0
Pessoas envolvidas
0
Projetos Sociais
0
Leitores
0
Pessoas beneficiadas
  • Georgino Avelino: Mulher morre ao dar à luz gêmeos e família denuncia negligência

    Resultado de imagem para cleciane georgino avelino
    Do OP9
    Uma mulher de 18 anos que estava grávida de gêmeos morreu ao dar à luz no município de São José de Mipibu, na Grande Natal. Cleciane Pontes da Silva era moradora de Senador
    Uma mulher de 18 anos que estava grávida de gêmeos morreu ao dar à luz no município de São José de Mipibu, na Grande Natal. Cleciane Pontes da Silva era moradora de Senador Georgino Avelino, cidade distante 50 quilômetros de Natal. O caso ocorreu na segunda-feira (12).
    A mulher passava por complicações na gravidez e fazia acompanhamento pré-natal de alto risco. Ela sentiu dores no sábado (9) e, após receber atendimento no Hospital de Senador Georgino Avelino, retornou para casa. No dia seguinte, Cleciane Pontes, grávida de sete meses, voltou a sentir incômodos e teve de ser socorrida às pressas para São José de Mipibu. Dezenove quilômetros separam as duas cidades.
    O município de Senador Georgino Avelino conta apenas com uma Unidade Mista de Saúde. De acordo com amigos e familiares de Cleciane, o hospital não oferece atendimento médico durante fins de semana e também no período da noite. Pessoas próximas da vítima alegam que ela foi transferida para São José de Mipibu em um carro comum, quando deveria ter sido deslocada em uma ambulância.
    A direção do Hospital Regional Antônio Barros, para onde a mulher foi levada, confirmou a versão dos familiares. “Ela teria que ter sido transferida em uma viatura do Samu, até mesmo pela situação dela de já estar sentindo muitas dores”, disse o diretor administrativo da unidade, Carlos Magno.
    Cleciane morreu no hospital da cidade da Grande Natal. O corpo dela foi levado para investigação no Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep-RN). Apesar da tragédia, que abalou a pequena cidade de Senador Georgino Avelino com 4,3 mil habitantes, os bebês foram transferidos para uma maternidade e estão bem.
    O que dizem as autoridades
    A prefeita Stela Sena explicou que Senador Georgino Avelino conta apenas com uma Unidade Mista de Saúde para atender os pacientes da cidade. Dependendo da gravidade do caso, o doente é encaminhado para São José de Mipibu, procedimento que foi adotado com a mulher grávida. Ainda segundo o Executivo local, a paciente foi transportada na ambulância da prefeitura e não em um carro comum.
    A Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) informa que o caso está sendo investigado com base nos prontuários do Hospital de São José de Mipibu e também da Maternidade Januário Cicco, onde ela fazia pré-natal. Além disso, o laudo do Serviço de Verificação de Óbito (SVO) também ajudará no esclarecimento da morte.

  • Prefeitura publica lei que comemora dia do carangueiro e marisqueiro em Georgino Avelino

    Resultado de imagem para caranguejo

    Por Vanilson Santos

    A prefeitura de Georgino Avelino sancionou essa semana a lei que comemora o Dia do Caranguejeiro e Marisqueiro dentro de Georgino Avelino, que acontecerá sempre no dia 20 de agosto. 

    A lei visa homenagear a todos os marisqueiros e caranguejeiros de Georgino Avelino que contribuem significativamente para o crescimento e desenvolvimento do Município através da atividade desenvolvida.

    Além disso, o poder Executivo deverá destinar ações e programar eventos de mobilização com a finalidade de conscientizar nossa sociedade sobre a importância dessa profissão.

    De acordo com a lei, o projeto tem como objetivo: 

    I- Fortalecer, apoiar e incentivar o desenvolvimento da maricultura e suas formas associativas e cooperativas de produção, gestão e comercialização;

    II- Incentivar a criação de politicas públicas para o fortalecimento da maricultura;

    III- Viabilizar, profissionalizar e ofertar alternativas para os marisqueiros e caranguejeiros;

    Art. 5º - Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.
  • Grêmio assina contrato definitivo com zagueiro 'Tonhão' de Georgino Avelino

    O Grêmio informou oficialmente a sua torcida no final da tarde desta última sexta-feira que concluiu a negociação para aquisição dos direitos econômicos do zagueiro Rodrigues, como ele é conhecido, junto ao ABC, do Rio Grande do Norte, e assinou contrato definitivo com o jogador.
    Nascido em 10 de outubro de 1997 na cidade de Carnaúba dos Dantas, Rodrigues tem seis jogos pelo Tricolor na temporada. Com o novo contrato, Grêmio e o jogador prorrogam o vínculo até dezembro de 2022.


    Com edição
    Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA
  • Gleisi Hoffmann ataca Bolsonaro: “Um bandido na Presidência da República”

    Foto: Reprodução/UOL
    Em entrevista ao UOL, Gleisi Hoffmann mostrou que o PT continua aprisionado a Lula em Curitiba. Além de defender o ex-presidente, Gleisi atacou Jair Bolsonaro, chamando o presidente de “bandido”.
    O Bolsonaro é um ser folclórico. Esses dias fiz uma afirmação pesada, mas acho que é isso mesmo: é um bandido na Presidência da República, que flerta com milícias, com o ilícito, com o autoritarismo, capaz de se dizer cúmplice de um assassinato, de um desaparecimento político no Brasil. Durante esses sete meses, não teve uma proposta sequer para tirar o povo da crise. Nós não temos uma política de empregos no país, uma política de renda, de renegociação da dívida”, afirmou.
    A presidente do PT também disse, acreditem se quiser, que Lula ainda é o nome do partido a ser considerado para a eleição de 2022:
    “Nós temos a figura do Lula, e apostamos muito que o Lula saia da prisão, porque é injusta e ilegal. O Lula é uma grande liderança do partido, e tendo condições de disputar, não teria dúvidas de que o PT disputaria com ele.”
    O Antagonista com UOL
  • Fiocruz: 7,7% dos brasileiros usaram maconha pelo menos uma vez

    Foto: Divulgação / Polícia Federal
    A maconha é a substância ilícita mais consumida no Brasil, segundo a pesquisa. Dados do 3º Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira, divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), apontam que 7,7% dos brasileiros de 12 a 65 anos já usaram maconha ao menos uma vez na vida. A segunda droga com maior consumo no país é a cocaína em pó (3,1%).
    O levantamento que ouviu cerca de 17 mil pessoas com idades entre 12 e 65 anos, em todo o Brasil, entre maio e outubro de 2015, é apontado como um dos mais completos por sua abrangência. Pesquisadores também destacaram números preocupantes relacionados ao uso do crack.
    Aproximadamente 1,4 milhão de pessoas entrevistadas relataram ter feito uso de crack e similares alguma vez na vida, o que corresponde a 0,9% da população da pesquisa. Neste aspecto, o levantamento destaca um diferencial pronunciado entre homens (1,4%) e mulheres (0,4%). Nos 12 meses anteriores ao levantamento, o uso dessa droga foi reportado por 0,3% da população.
    Pesquisadores explicam que estes resultados devem ser observados com cautela, uma vez que o inquérito domiciliar não é capaz de captar as pessoas que são usuárias e não se encontram regularmente domiciliadas ou estão em situações especiais, vivendo em abrigos ou em presídios, por exemplo.
    Maconha é apontada como a droga mais consumida no Brasil (Arquivo/Agência Brasil)
    “O percentual que encontramos no 3° Levantamento é inferior ao que aparece na Pesquisa Nacional do Uso do Crack [Fiocruz, 2013]. Isso porque nosso levantamento foi domiciliar. Mas os usuários de crack compõem uma população majoritariamente marginalizada, que vive em situação de rua. Desse modo, importante reforçar que o levantamento corrobora o grave problema de saúde pública que é o uso de crack no Brasil. Mas faz isso justamente por mostrar, a partir da visibilidade diminuta dentro dos lares, que o consumo dessa substância no país é um fenômeno do espaço público”, afirmou o coordenador da pesquisa, Inácio Bastos.
    Medicamentos
    Outro dado destacado pelos pesquisadores diz respeito ao uso dos analgésicos opiáceos e dos tranquilizantes benzodiazepínicos. Nos 30 dias anteriores à pesquisa eles foram consumidos de forma não prescrita, ou de modo diferente àquele recomendado pela prescrição médica, por 0,6% e 0,4% da população brasileira, respectivamente.
    “É um número que revela um padrão muito preocupante, e que faz lembrar o problema norte-americano de uma década atrás, em termos de classe de substâncias”, alertou Bastos.
    Diminuição de cigarro
    Sobre tabaco, o coordenador da pesquisa da Fiocruz destacou uma redução do consumo identificado no levantamento. “Outras pesquisas têm mostrado que há um declínio com relação ao uso do cigarro convencional. Por outro lado, têm chamado atenção para formas emergentes de fumo, com a ascensão de aparatos como cigarros eletrônicos e narguilés”, disse Bastos.
    Levantamento
    O 3° Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira teve sua origem numa concorrência pública lançada em 2014 pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Justiça e Segurança Pública.
    O estudo contou com a parceria de várias outras instituições, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Instituto Nacional de Câncer (Inca) e a Universidade de Princeton, nos EUA.
    Francisco Inácio Bastos disse que definiu seu plano amostral a partir de critérios metodológicos semelhantes aos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE.
    “Há um enorme desafio em realizar uma pesquisa como esta, que busque ser representativa da população brasileira. O Brasil não é apenas muito heterogêneo, como também conta com regiões muito pobres, territórios de população esparsa e dificuldade de acesso”, avaliou o pesquisador.
    Agência Brasil
  • Fiocruz: 7,7% dos brasileiros usaram maconha pelo menos uma vez

    Foto: Divulgação / Polícia Federal
    A maconha é a substância ilícita mais consumida no Brasil, segundo a pesquisa. Dados do 3º Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira, divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), apontam que 7,7% dos brasileiros de 12 a 65 anos já usaram maconha ao menos uma vez na vida. A segunda droga com maior consumo no país é a cocaína em pó (3,1%).
    O levantamento que ouviu cerca de 17 mil pessoas com idades entre 12 e 65 anos, em todo o Brasil, entre maio e outubro de 2015, é apontado como um dos mais completos por sua abrangência. Pesquisadores também destacaram números preocupantes relacionados ao uso do crack.
    Aproximadamente 1,4 milhão de pessoas entrevistadas relataram ter feito uso de crack e similares alguma vez na vida, o que corresponde a 0,9% da população da pesquisa. Neste aspecto, o levantamento destaca um diferencial pronunciado entre homens (1,4%) e mulheres (0,4%). Nos 12 meses anteriores ao levantamento, o uso dessa droga foi reportado por 0,3% da população.
    Pesquisadores explicam que estes resultados devem ser observados com cautela, uma vez que o inquérito domiciliar não é capaz de captar as pessoas que são usuárias e não se encontram regularmente domiciliadas ou estão em situações especiais, vivendo em abrigos ou em presídios, por exemplo.
    Maconha é apontada como a droga mais consumida no Brasil (Arquivo/Agência Brasil)
    “O percentual que encontramos no 3° Levantamento é inferior ao que aparece na Pesquisa Nacional do Uso do Crack [Fiocruz, 2013]. Isso porque nosso levantamento foi domiciliar. Mas os usuários de crack compõem uma população majoritariamente marginalizada, que vive em situação de rua. Desse modo, importante reforçar que o levantamento corrobora o grave problema de saúde pública que é o uso de crack no Brasil. Mas faz isso justamente por mostrar, a partir da visibilidade diminuta dentro dos lares, que o consumo dessa substância no país é um fenômeno do espaço público”, afirmou o coordenador da pesquisa, Inácio Bastos.
    Medicamentos
    Outro dado destacado pelos pesquisadores diz respeito ao uso dos analgésicos opiáceos e dos tranquilizantes benzodiazepínicos. Nos 30 dias anteriores à pesquisa eles foram consumidos de forma não prescrita, ou de modo diferente àquele recomendado pela prescrição médica, por 0,6% e 0,4% da população brasileira, respectivamente.
    “É um número que revela um padrão muito preocupante, e que faz lembrar o problema norte-americano de uma década atrás, em termos de classe de substâncias”, alertou Bastos.
    Diminuição de cigarro
    Sobre tabaco, o coordenador da pesquisa da Fiocruz destacou uma redução do consumo identificado no levantamento. “Outras pesquisas têm mostrado que há um declínio com relação ao uso do cigarro convencional. Por outro lado, têm chamado atenção para formas emergentes de fumo, com a ascensão de aparatos como cigarros eletrônicos e narguilés”, disse Bastos.
    Levantamento
    O 3° Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira teve sua origem numa concorrência pública lançada em 2014 pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Justiça e Segurança Pública.
    O estudo contou com a parceria de várias outras instituições, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Instituto Nacional de Câncer (Inca) e a Universidade de Princeton, nos EUA.
    Francisco Inácio Bastos disse que definiu seu plano amostral a partir de critérios metodológicos semelhantes aos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE.
    “Há um enorme desafio em realizar uma pesquisa como esta, que busque ser representativa da população brasileira. O Brasil não é apenas muito heterogêneo, como também conta com regiões muito pobres, territórios de população esparsa e dificuldade de acesso”, avaliou o pesquisador.
    Agência Brasil
  • Fiocruz: 7,7% dos brasileiros usaram maconha pelo menos uma vez

    Foto: Divulgação / Polícia Federal
    A maconha é a substância ilícita mais consumida no Brasil, segundo a pesquisa. Dados do 3º Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira, divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), apontam que 7,7% dos brasileiros de 12 a 65 anos já usaram maconha ao menos uma vez na vida. A segunda droga com maior consumo no país é a cocaína em pó (3,1%).
    O levantamento que ouviu cerca de 17 mil pessoas com idades entre 12 e 65 anos, em todo o Brasil, entre maio e outubro de 2015, é apontado como um dos mais completos por sua abrangência. Pesquisadores também destacaram números preocupantes relacionados ao uso do crack.
    Aproximadamente 1,4 milhão de pessoas entrevistadas relataram ter feito uso de crack e similares alguma vez na vida, o que corresponde a 0,9% da população da pesquisa. Neste aspecto, o levantamento destaca um diferencial pronunciado entre homens (1,4%) e mulheres (0,4%). Nos 12 meses anteriores ao levantamento, o uso dessa droga foi reportado por 0,3% da população.
    Pesquisadores explicam que estes resultados devem ser observados com cautela, uma vez que o inquérito domiciliar não é capaz de captar as pessoas que são usuárias e não se encontram regularmente domiciliadas ou estão em situações especiais, vivendo em abrigos ou em presídios, por exemplo.
    Maconha é apontada como a droga mais consumida no Brasil (Arquivo/Agência Brasil)
    “O percentual que encontramos no 3° Levantamento é inferior ao que aparece na Pesquisa Nacional do Uso do Crack [Fiocruz, 2013]. Isso porque nosso levantamento foi domiciliar. Mas os usuários de crack compõem uma população majoritariamente marginalizada, que vive em situação de rua. Desse modo, importante reforçar que o levantamento corrobora o grave problema de saúde pública que é o uso de crack no Brasil. Mas faz isso justamente por mostrar, a partir da visibilidade diminuta dentro dos lares, que o consumo dessa substância no país é um fenômeno do espaço público”, afirmou o coordenador da pesquisa, Inácio Bastos.
    Medicamentos
    Outro dado destacado pelos pesquisadores diz respeito ao uso dos analgésicos opiáceos e dos tranquilizantes benzodiazepínicos. Nos 30 dias anteriores à pesquisa eles foram consumidos de forma não prescrita, ou de modo diferente àquele recomendado pela prescrição médica, por 0,6% e 0,4% da população brasileira, respectivamente.
    “É um número que revela um padrão muito preocupante, e que faz lembrar o problema norte-americano de uma década atrás, em termos de classe de substâncias”, alertou Bastos.
    Diminuição de cigarro
    Sobre tabaco, o coordenador da pesquisa da Fiocruz destacou uma redução do consumo identificado no levantamento. “Outras pesquisas têm mostrado que há um declínio com relação ao uso do cigarro convencional. Por outro lado, têm chamado atenção para formas emergentes de fumo, com a ascensão de aparatos como cigarros eletrônicos e narguilés”, disse Bastos.
    Levantamento
    O 3° Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira teve sua origem numa concorrência pública lançada em 2014 pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Justiça e Segurança Pública.
    O estudo contou com a parceria de várias outras instituições, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Instituto Nacional de Câncer (Inca) e a Universidade de Princeton, nos EUA.
    Francisco Inácio Bastos disse que definiu seu plano amostral a partir de critérios metodológicos semelhantes aos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE.
    “Há um enorme desafio em realizar uma pesquisa como esta, que busque ser representativa da população brasileira. O Brasil não é apenas muito heterogêneo, como também conta com regiões muito pobres, territórios de população esparsa e dificuldade de acesso”, avaliou o pesquisador.
    Agência Brasil
  • Levantamento alerta para consumo de álcool no país; mais de dois milhões de brasileiros têm traços de dependência

    Mais de dois milhões de brasileiros têm traços de dependência da bebida alcoólica (Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil)
    O índice de consumo de álcool no Brasil é mais alarmante do que o do uso de substâncias ilícitas, segundo o 3º Levantamento Nacional sobre o Uso de Drogas pela População Brasileira, divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A pesquisa revelou que mais da metade da população brasileira de 12 a 65 anos declarou ter consumido bebida alcoólica alguma vez na vida.
    Cerca de 46 milhões (30,1%) informaram ter consumido pelo menos uma dose nos 30 dias anteriores. E aproximadamente 2,3 milhões de pessoas apresentaram critérios para dependência de álcool nos 12 meses anteriores à pesquisa.
    O levantamento que ouviu cerca de 17 mil pessoas com idades entre 12 e 65 anos, em todo o Brasil, entre maio e outubro de 2015, é apontado como um dos mais completos por sua abrangência. Pesquisadores da fundação afirmam, inclusive, que os resultados são representativos inclusive de municípios de pequeno porte e de zonas de fronteira.
    Álcool e violência
    A relação entre álcool e diferentes formas de violência também foi abordada pelos pesquisadores que detectaram que, aproximadamente 14% dos homens brasileiros de 12 a 65 anos dirigiram após consumir bebida alcoólica, nos 12 meses anteriores à entrevista. Já entre as mulheres esta estimativa foi de 1,8%. A percentagem de pessoas que estiveram envolvidos em acidentes de trânsito enquanto estavam sob o efeito de álcool foi de 0,7%.
    Cerca de 4,4 milhões de pessoas alegaram ter discutido com alguém sob efeito de álcool nos 12 meses anteriores à entrevista. Destes, 2,9 milhões eram homens e 1,5 milhão, mulheres. A prevalência de ter informado que “destruiu ou quebrou algo que não era seu” sob efeito de álcool também foi estaticamente significativa e maior entre homens do que entre mulheres (1,1% e 0,3%, respectivamente).
    Percepção de Risco
    A percepção do brasileiro quanto às drogas atrela mais risco ao uso do crack do que ao álcool: 44,5% acham que o primeiro é a droga associada ao maior número de mortes no país, enquanto apenas 26,7% colocariam o álcool no topo do ranking.
    Segundo coordenador do levantamento e pesquisador do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde da Fiocruz, Francisco Inácio Bastos,os principais estudos sobre o tema, como a pesquisa de cargas de doenças da Organização Mundial de Saúde, não deixam dúvidas: o álcool é a substância mais associada, direta ou indiretamente, a danos à saúde que levam à morte”, afirmou Bastos.
    “Tanto o álcool quanto o crack, porém, representam grandes desafios à saúde pública. Os jovens brasileiros estão consumindo drogas com mais potencial de provocar danos e riscos, como o próprio crack. Além disso, há uma tendência ao poli uso [uso simultâneo de drogas diferentes]. Por isso é tão importante atualizar os dados epidemiológicos disponíveis no país, para responder às perguntas de um tema como o consumo de drogas, que se torna ainda mais complexo num país tão heterogêneo quanto o Brasil”, advertiu.
    Agência Brasil
  • Médicos fazem alerta após mulher se queimar durante ‘vaporização vaginal’

    Técnica recomendada por Gwyneth Paltrow em site provou queimaduras na vagina de uma mulher no Canadá e levou médicos a soarem alerta — Foto: Jason Merritt
    A história de uma mulher canadense de 62 anos que se queimou após recorrer à chamada “vaporização vaginal” está sendo usada por médicos como exemplo dos riscos para a saúde desta terapia alternativa.
    O estudo deste caso foi detalhado e publicado no periódico Journal of Obstetrics and Gynecology Canada.
    A mulher tinha um prolapso genital e seguiu o conselho de um médico chinês tradicional para recorrer à vaporização como uma alternativa a ter que fazer cirurgia.
    Esta terapia envolve sentar-se sobre uma mistura de água quente e ervas e tem crescido em popularidade.
    A médica Magali Robert, autora do artigo, disse que a mulher ferida, que deu permissão para a divulgação de seu caso, agachou-se sobre a água fervente durante 20 minutos por dois dias consecutivos. Depois, ela precisou recorrer ao atendimento de emergência para tratar dos ferimentos decorrentes.
    Ela sofreu queimaduras de segundo grau e teve que adiar a cirurgia reconstrutiva enquanto trata os ferimentos.
    ‘Detox’
    Esta terapia e outros tratamentos para áreas íntimas, com máscara para vulvas, estão disponíveis na internet, em salões de beleza e spas.
    Nos Estados Unidos, o jornal Los Angeles Times mencionou a vaporização vaginal pela primeira vez em 2010, e mais tarde o procedimento foi impulsionado quando a marca Goop, da atriz Gwyneth Paltrow, o recomendou. A celebridade tem um site sobre estilo de vida que frequentemente dá dicas sobre tendências de saúde – muitas delas controversas.
    No ano passado, a modelo norte-americana Chrissy Teigen também compartilhou uma fotografia de si mesma fazendo a vaporização.

    Defensores da prática alegam que ela tem sido usada ao longo da história em países da Ásia e da África. Segundo eles, o procedimento, às vezes chamado de vaporização Yoni, faz um “detox” da vagina.
    Especialistas, no entanto, alertam que a intervenção pode ser perigosa e não há comprovação de sua eficácia ou de seus supostos benefícios para a saúde, como alívio dos sintomas da menstruação ou melhoras na fertilidade.
    Vanessa Mackay, consultora e porta-voz do Colégio Real de Obstetras e Ginecologistas, no Reino Unido, diz ser um “mito” que a vagina precise de limpeza ou tratamento intensos. Ela recomenda o uso de sabonetes simples e não perfumados apenas na área da vulva externa.
    É importante não confundir a vagina (parte interna que liga o útero com o exterior) com a vulva e os lábios, que ficam do lado de fora – estes sim, precisam de limpeza com produtos neutros, conforme recomenda Mackay.
    “A vagina contém as bactérias boas, que estão lá para protegê-la”, disse ela em nota.
    “O vapor na vagina pode afetar este equilíbrio saudável de bactérias e níveis de pH, além de causar irritação, infecção (como vaginose bacteriana ou candidíase) e inflamação. A pele delicada ao redor da vagina (a vulva) também pode ser machucada.”
    Robert, pesquisadora na universidade canadense de Calgary na área de medicina pélvica e cirurgia reconstrutiva, diz que terapias não convencionais, como a vaporização, espalham-se pela internet e pelo boca-a-boca.
    “Os profissionais de saúde precisam estar cientes das terapias alternativas para que possam ajudar as mulheres a fazer escolhas informadas e evitar possíveis danos”, escreve ela no artigo.
    G1, com BBC
  • FOTOS: Polícia Civil deflagra operação e prende cinco pessoas no bairro do Alecrim, em Natal; drogas, objetos e R$ 27 mil apreendidos

    Fotos: Divulgação/Polícia Civil
    Policiais civis da Delegacia Especializada em Narcóticos (DENARC) de Natal deflagraram a Operação “Estação Final”, na manhã desta sexta-feira (09), na localidade conhecida como Guarita, no bairro Alecrim, em Natal. A ação teve por objetivo combater o tráfico de drogas na região, situada próximo à estação de trem.
    Foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão, que resultaram na prisão de cinco pessoas. Foram presos pelo crime de tráfico de drogas: Leonardo da Rocha Francisco, 34 anos, Mércia Rodrigues da Silva, 45 anos, Rafael Viviano Dantas de Araújo, 36 anos, e Vinicius Guilherme Costa Muniz, 19 anos. Já pelo crime de posse irregular de arma de fogo foi preso César Luiz Tavares da Silva, 37 anos.
    Durante as diligências, foram apreendidos uma arma de fogo, certa quantidade de drogas diversas (maconha, cocaína, ecstasy), balança de precisão, insumos para embalar drogas, aparelhos celulares, notebook e a quantia de R$ 27.000,00, encontrada na residência de um dos investigados.
    A operação contou com a participação de cerca de 50 policiais e 12 viaturas. Os suspeitos foram conduzidos à delegacia e encaminhados ao sistema prisional, onde ficarão à disposição da Justiça.
    A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.
    Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS
  • Bolsonaro cria armadilha para ficar com saldo do FGTS

    Bolsonaro cria armadilha para ficar com saldo do FGTS

    A autorização para a retirada de até R$ 500 do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é mais uma armadilha preparada pelo governo Jair Bolsonaro (PSL) para ficar com o saldo do fundo no momento da demissão, quando mais o trabalhador precisa dos recursos para a sua sobrevivência. A possibilidade de movimentação nas contas está prevista na Medida Provisória (MP) 889, assinada porr Bolsonaro.
    Enviada para análise no Congresso, as novas regras já têm liberação prevista para setembro deste ano, quando todos os trabalhadores poderão sacar de imediato até R$ 500 de suas contas ativas ou inativas do fundo. A modalidade permanece válida até abril de 2020.
    Entenda o golpe
    A armadilha está num outro mecanismo criado, intitulado Saque Aniversário, que disponibilizará retiradas anuais no mês de nascimento do trabalhador. A proposta é que os recursos sejam resgatados dentro de um limite previsto de 50% do saldo disponível limitados a R$ 500. Acima disso, o saque terá percentuais menores.
    A nova modalidade será opcional. No caso do trabalhador fazer a escolha pelo Saque Aniversário, terá que abrir mão de toda a quantia do saldo do FGTS que poderia sacar no ato da demissão sem justa causa.
    Gera mais desemprego
    A medida foi tomada sob o argumento de ser um incentivo ao consumo, num momento em que a economia sofre com uma recessão crescente, como consequência da contração provocada pela política econômica do próprio governo. Segundo Guedes, com os saques serão injetados R$ 40 bilhões na economia até 2010.
    Mas o economista Adhemar Mineiro, adverte que a medida pode ter efeito contrário devido à grave recessão ampliada pela política econômica e ao alto nível de endividamento do brasileiro. “Com esta situação os R$ 40 bilhões não servirão para reverter a estagnação da economia e o desemprego em torno de 13%. E mais: os saques serão realizados para pagar dívidas, beneficiando apenas os bancos, em vez de fomentar o consumo de bens. Logo, não fará a economia crescer. Pior ainda, ao retirar bilhões do fundo financiador da casa própria e das obras de saneamento, pode provocar sérias dificuldades no setor da construção civil, o que mais emprega no país, gerando mais contração econômica e desemprego”, afirmou.
    Guedes quer transferir FGTS para bancos privados
    Como vem fazendo com a Previdência Social, a saúde e a educação públicas, setores voltados para a população e o desenvolvimento do país, o governo Bolsonaro agora investe contra o FGTS. O fundo garante a sobrevivência do trabalhador demitido, seja através do saque quando da rescisão, seja da garantia do seguro-desemprego.
    Sempre em benefício dos bancos – ele já foi banqueiro, um dos fundadores do BTG Pactual – Guedes criou o Departamento do FGTS. O órgão é subordinado ao Ministério da Economia. Seu objetivo a curto prazo, é retirar da Caixa Econômica Federal e entregar aos bancos privados, a gestão do fundo que tem mais de R$ 500 bilhões.
    Nas mãos da estatal, o dinheiro é usado para financiar aquisição da casa própria pelo trabalhador, e em programas sociais, como o Minha Casa, Minha Vida, e financiamento a pequenos e médios negócios a juros mais baixos. Nas mãos dos bancos privados vão ser usados para lhes garantir lucros maiores do que os que já tem.
    De quebra, a divisão do FGTS, vai esvaziar a Caixa, um banco voltado para o social. Este esvaziamento serve para preparar a privatização da estatal, o que Guedes quer fazer com todas as demais empresas públicas.
  • Governo vai liberar saque de até 35% do FGTS

    ANSA) – O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (17) que seu governo irá anunciar em breve detalhes sobre a proposta de liberar até 35% dos recursos das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), conforme revelou o ministro da Economia, Paulo Guedes. A declaração foi dada pelo mandatário brasileiro durante entrevista coletiva na Argentina, onde participou da Cúpula do Mercosul.
    “[O anúncio] está previsto para essa semana isso. É uma injeção, uma pequena injeção na economia. E é bem-vindo isso aí porque começa a economia, segundo especialistas, a dar sinal de recuperação pelos sinais positivos, em especial, também, que estão vindo do parlamento”, declarou Bolsonaro.
    A decisão será parecida com a tomada pelo governo de Michel Temer, que permitiu saques de contas inativas do FGTS, em 2017. Segundo Guedes, a expectativa do governo é de que as liberações injetem na economia do país o total de R$ 63 bilhões.
    O objetivo é liberar R$ 42 bilhões com os saques do FGTS e R$ 21 bilhões com o Programa de Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). A medida prevê a liberação de até 35% do valor depositado pelo empregador atual. O percentual dependerá da renda do trabalhador. Atualmente, o dinheiro das contas ativas tem uso limitado.
    Ainda de acordo com o ministro da Economia, os recursos do FGTS poderão ser sacados no mês de aniversário dos que tiverem o benefício disponível.
    Atualmente, o dinheiro do FGTS só pode ser retirado quando o trabalhador se aposenta ou compra um imóvel. A conta, por sua vez, só é considerada ativa enquanto estiver recebendo depósitos da empresa contratual. Já o PIS é um abono pago aos trabalhadores da iniciativa privada administrado pela Caixa Econômica Federal, enquanto que o Pasep é pago a servidores públicos por meio do Banco do Brasil.
  • ANUNCIE SUA MARCA AQUI E VENDA MAIS

    Anunciar no maior e melhor blog da cidade é garantir que sua marca seja vista por milhares de leitores diáriamente.

    Instagram

    Slider Widget

    5
    Tecnologia do Blogger.

    Estatísticas da Violência em Georgino Avelino

    3 roubos de celulares
    2 roubos de casas
    0 homicídio
    4 arrastões
    0 roubo de moto
    1 roubo de carro
    01 roubo de comércio
    01 tentativa de homicídio

    Facebook

    Publicidade :

    Quem Somos

    Quem Somos
    Blog Georgino Avelino Notícias
    ENDEREÇO

    Rua da Campina, Nº 140, Carnaúba-Sen. Georgino Avelino-RN

    EMAIL

    contato@georginoavelinonoticias.com.br

    WHATSAPP

    84 98126-2654

    TELEFONE

    84 98126-265